quinta-feira, 31 de outubro de 2019

Produção das fábricas aumenta no Japão, mas riscos ameaçam economia do país

"No futuro, as perspectivas são ruins", disse Marcel Thieliant, economista sênior da Capital Economics
Produção das fábricas no Japão

 A produção industrial do Japão se recuperou em setembro e registrou o crescimento mais rápido em quatro meses, oferecendo algum alívio aos fabricantes em meio à desaceleração da demanda global e à crescente pressão sobre as exportações do país diante da guerra comercial entre os Estados Unidos e a China.

O aumento dos riscos negativos para a economia do Japão, incluindo os efeitos da alta do imposto sobre consumo, manterá o banco central sob pressão para facilitar novamente a sustentação do crescimento e cumprir sua meta de inflação de 2%.

A produção das fábricas aumentou 1,4% em setembro em relação ao mês anterior, mostraram dados do Ministério do Comércio nesta quinta-feira (31), superando as previsões medianas do mercado para um crescimento de 0,4% e superando um declínio de 1,2% no mês anterior.

No trimestre de julho a setembro, a produção das fábricas caiu 0,6%, depois de um ganho de 0,6% nos três meses anteriores.

Os fabricantes consultados pelo Ministério da Economia, Comércio e Indústria esperam que a produção suba 0,6% em outubro e recue 1,2% em novembro, mostraram os dados.

"No futuro, as perspectivas são ruins", disse Marcel Thieliant, economista sênior da Capital Economics no Japão.

"Com os gastos do consumidor caindo após o aumento do imposto, a demanda doméstica não será suficiente. A previsão é de que a economia fique estagnada até o primeiro semestre do próximo ano.”

Na quarta-feira (30), os dados mostraram um grande salto nas vendas no varejo em setembro, antes do aumento do imposto de 8% para 10%, com os consumidores comprando itens caros, como carros e bens de consumo.

O Japão aumentou o imposto sobre consumo (shouhizei) no início de outubro, em uma medida considerada essencial para a economia, mas que pode levar o país à recessão, dizem alguns analistas.
Fonte: Alternativa com Reuters

quarta-feira, 16 de outubro de 2019

Maternal e pré-escola anexos à loja de conveniência

A iniciativa é inédita no Japão, com instalações anexas de loja de conveniência e maternal e pré-escola, em Aichi
Maternal e pré-escola anexos à loja de conveniência

A iniciativa inédita no país é da cidade de Nagoia (Aichi), ainda a ser inaugurada, informou a gestão municipal na terça-feira (15).

Uma instituição de ensino – maternal e pré-escola – será instalada no segundo piso de uma loja de conveniência, em Higashi-ku. O local é bem próximo à estação de metrô Shin Sakae, bastando atravessar a avenida.

A inauguração está prevista para abril do ano que vem com capacidade para 60 aluninhos, com idade a partir dos 6 meses.

O projeto só foi possível por causa de um acordo de cooperação entre Family Mart e prefeitura, para dividirem as despesas do espaço.

Assim, a prefeitura criou esse modelo para ir sanando a questão da fila de espera de crianças a serem matriculadas, mesmo em uma área central onde o preço dos imóveis é muito alto.
Fonte: Portal Mie com CTV e CBC TV

quinta-feira, 26 de setembro de 2019

Sharp anuncia fim da produção de eletrodomésticos no Japão

A Sharp anunciou que mesmo fechando as fábricas, os funcionários serão realocados
Sharp de Yao, em Osaka

A Sharp informou na quarta-feira (25) o fim da operação da planta de Yao (Osaka), a única base de fabricação de geladeiras e outros eletrodomésticos.
Conforme o planejamento, desde agosto do ano passado a setembro deste ano, a Sharp transferiu sua produção de eletrodomésticos chamados de linha branca para a Tailândia e outros países. Com esse fechamento, a Sharp encerra no Japão seus 63 anos de história desse segmento.

Tendo se tornado coligada da taiwanesa Hon Hai Precision Industry, a empresa-mãe está reorganizando as plantas do Japão. A Sharp fechará a fábrica de Katsuragi (Nara) e Hirano (Osaka) no próximo ano fiscal e deverá se concentrar em Yao, como base de pesquisa e desenvolvimento de eletrodomésticos com a tecnologia de Internet das Coisas-IoT.

Em relação ao desenvolvimento de novos eletrodomésticos, o desenvolvimento continuará sendo realizado no Japão.

Os funcionários dessas unidades serão realocados, segundo a fabricante.
Fonte: Portal Mie com Sankei

quarta-feira, 4 de setembro de 2019

Fukui amplia serviço de consulta para residentes estrangeiros

Com aumento de residentes estrangeiros, principalmente de brasileiros e vietnamitas, Fukui instala um centro de atendimento específico em 13 idiomas
Centro de Consulta do Estrangeiro ふくい外国人相談センター

O serviço de atendimento gratuito para consultas diversas na província de Fukui, na capital, foi ampliado.

O Centro de Consulta do Estrangeiro (ふくい外国人相談センター) fica dentro do Salão de Intercâmbio Internacional. Foi assim batizado pois ampliou o leque de idiomas e também a forma de atendimento às consultas dos residentes estrangeiros. Passou a ser em 13 línguas, para suporte da população estrangeira que chegou a 14.650 residentes na província.

A província fez contrato com uma empresa para o uso de videoconferência nos diversos idiomas, usando um tablet. Com aumento dos brasileiros e vietnamitas subiu também o número de consultas.

Para preservar a privacidade da pessoa, se preferir, foi instalada uma sala para assuntos mais delicados.

Centro de Consulta do Estrangeiro
Local: dentro do Salão de Intercâmbio Internacional, no centro (clique aqui para abrir o mapa)
Telefone: 0776-88-0062
Fonte: Portal Mie com Chunichi Shimbun

sexta-feira, 9 de agosto de 2019

Honda vai transferir a produção do Accord híbrido do Japão para a Tailândia

A fabricante de veículos se junta ao desfile de rivais investindo mais no sudeste asiático
Honda Accord híbrido

A Honda Motor vai transferir a produção japonesa de seu Accord híbrido para a Tailândia, onde ela quer aproveitar incentivos fiscais para fabricar carros mais ecológicos, de acordo com fontes.

O plano da Honda segue o anúncio da Mitsubishi Motors no início deste mês sobre sua intenção de produzir híbridos plug-in no país do sudeste asiático, com início em 2021.

A medida começará com o modelo Accord que tem lançamento previsto no Japão no início de 2020. A Honda também está considerando exportar da Tailândia para outros países, incluindo a Austrália.

A fabricante planeja gastar 5.82 bilhões de baths (US$189 milhões) no plano, que vai expandir sua produção de carros com motores elétricos.

O governo tailandês está encorajando a produção de carros desse tipo – incluindo veículos elétricos e híbridos – ao oferecer isenções fiscais corporativas, cortar impostos especiais e reduzir impostos sobre equipamento de fabricação importado.

A fábrica da Honda em Sayama (Saitama) vem produzindo o Accord, mas encerrará a produção de automóveis até o fim de março de 2020. A Honda decidiu que seria mais eficiente importar o Accord da Tailândia, onde sua fábrica já produz o modelo com o volante do lado direito – a configuração padrão no Japão.

O Accord é considerado um sedan de gama alta e um modelo signature para a Honda. Ela vendeu cerca de 500.000 unidades em 2018, principalmente nos EUA e China, embora tenha comercializado apenas 2.000 no Japão.

A fábrica na Tailândia produziu um pouco mais de 3.000 Accords em 2018, mas o número deve aumentar de forma significativa em 2019, conduzido pelo planejado aumento na produção de híbridos.

A mudança da Honda ocorre quando as montadoras do mundo crescem mais seletivas sobre investimentos, visando melhorar a eficiência. Economias emergentes na Ásia, que estão se tornando cada vez mais avançadas tecnologicamente, se tornaram opções atrativas para produzir não apenas carros compactos, mas também veículos híbridos.

A Toyota Motor e a Mazda também planejam produzir veículos elétricos na Tailândia.
Fonte: Portal Mie com Asia Nikkei

terça-feira, 30 de julho de 2019

Japão tem 67 milhões de trabalhadores; número é o mais alto dos últimos 6 anos

País registrou leve queda na taxa de desemprego, de 2,3%
empregos no Japão

Os dados referentes ao mês de junho do Ministério dos Negócios Internos e Comunicações mostram que a situação de empregos no Japão é positiva, com um aumento crescente no número de trabalhadores e recuo na taxa de desemprego.

De acordo com as informações da emissora NHK, em junho, 67,47 milhões de pessoas estavam empregadas. O número vem crescendo mês a mês nos últimos seis anos e quatro meses e desta vez, bateu um novo recorde. Em comparação a junho do ano passado, o país registrou 600 mil novas contratações.

A taxa de desemprego, que ficou em 2,3%, teve um recuo tímido de 0.1 pontos. O registro totalizou 1,62 milhão de desempregados, com um recuo de 60 mil pessoas com relação ao mesmo período do ano passado.

O número de trabalhadores temporários (por empreiteiras) e de meio período totalizou 21,48 milhões de pessoas. Com relação ao mesmo período do ano passado, houve aumento de 600 mil trabalhadores com este tipo de contratação.

De forma geral, o desempenho foi classificado como satisfatório pelo Ministério. “Por causa da falta de mão obra, mais mulheres e idosos estão entrando no mercado de trabalho. A situação de empregos no país continua melhorando gradualmente”, afirmou um porta-voz.
Fonte: Alternativa com NHK

sexta-feira, 19 de julho de 2019

Brasileiras promovem encontro de empreendedoras em Kanagawa

Mulheres terão a oportunidade de mostrar seus produtos e serviços
Primeiro Encontro Empreendedor em Aikawa

Com o objetivo de incentivar as mulheres que realizam algum tipo de trabalho ou serviço, será realizado no sábado (20) o primeiro Encontro Empreendedor, em Aikawa (Kanagawa).

“Será uma oportunidade para elas divulgarem o trabalho para posteriormente aumentarem suas vendas. Além disso, queremos proporcionar ao público uma tarde agradável com muitos prêmios”, explica Liliane Knoll Takemura, que junto com Rani Hayashi organizam o evento.

Durante o encontro, 12 pequenas empreendedoras da região irão apresentar seus trabalhos. Estão programados tutoriais de maquiagem e de limpeza de pele, degustação de diversos doces e salgados, além de sorteios de diversos prêmios ao público. A entrada é gratuita.

“Queremos incentivar outras pessoas a fazerem algo também. Estamos programando outros eventos que tenham também a participação dos homens”, conclui Liliane.

Encontro Empreendedor
20 de julho (sábado), das 12h às 16h
Local: Noson Kankyou Kaizen Center
〒243-0306 Kanagawa-ken Aiko-gun Aikawa-machi Tashiro 1195
Entrada gratuita
Informações: 090-8514-1352 (Liliane) ou 070-4520-1906 (Rani)
Fonte: Alternativa

sexta-feira, 21 de junho de 2019

Nova lei estabelece que o governo é responsável pelo ensino de japonês aos estrangeiros

O número de cidadãos estrangeiros no Japão é de 2,73 milhões desde o fim de 2018
Aulas língua japonesa

A Dieta aprovou uma lei na sexta-feira (21) que estipula pela primeira vez a responsabilidade dos governos central e municipal em promover o ensino da língua japonesa para residentes estrangeiros, após o país ter aberto as portas para mais trabalhadores do exterior em abril deste ano.

Municípios que abrigam grandes comunidades estrangeiras vêm oferecendo há muito tempo o ensino de japonês e outros tipos de suporte por conta própria, mas o governo central foi lento em sua resposta e criticado pela sua falta de assistência.

Sob a lei, o governo central é responsável por realizar medidas abrangentes, incluindo a introdução de procedimentos fiscais necessários e legais, a fim de garantir aos residentes estrangeiros com vários backgrounds, de estudantes a refugiados, que recebam aulas de japonês de acordo com suas vontades e circunstâncias.

A lei pede pelo aprimoramento da qualidade de educação em várias instituições, a qual dizem variar grandemente, e melhorar os salários de professores de língua japonesa. Ela também pede aos empregadores que contratam cidadãos estrangeiros que ofereçam ensino do japonês a eles e suas famílias.

Com a finalidade de elaborar medidas abrangentes, ministérios de relações exteriores e da educação, assim como outras agências do governo, criarão uma convenção que será aconselhada por um painel de especialistas.

A lei foi compilada quando o Japão introduziu um novo sistema de visto em abril para receber mais operários do exterior, uma ação que deve expandir ainda mais as comunidades estrangeiras no arquipélago.

O número de cidadãos estrangeiros no Japão situou-se a uma alta recorde de 2,73 milhões desde o fim de 2018, alta de 6,6% em comparação ao ano anterior, de acordo com o Ministério da Justiça.

Sob o novo programa de visto, o governo espera receber 345.000 trabalhadores estrangeiros em 14 setores que enfrentam escassez de mão de obra como  – hotéis, cuidados de enfermagem, construção e agricultura – ao longo dos próximos cinco anos.

Pessoas que vêm ajudando no ensino da língua japonesa a residentes estrangeiros na ausência de uma política estatal abrangente receberam bem a lei e manifestaram esperança de que isso vai gerar mudanças.

“Estou satisfeita em ouvir que as responsabilidades dos governos central e municipal estão estipuladas”, disse Yuko Kitagawa, representante de um grupo de estudos de língua japonesa na província de Akita.
Fonte: Portal Mie com Mainichi

quarta-feira, 22 de maio de 2019

Mais de 300 estrangeiros passam no 1º exame para trabalhar em restaurantes no Japão

Os candidatos aprovados devem começar a trabalhar a partir de julho
trabalhadores estrangeiros no Japão

Mais de 300 estrangeiros foram aprovados no primeiro exame de qualificação para trabalhar no Japão sob um novo sistema de vistos que entrou em vigor em abril. As informações são da agência de notícias Kyodo.

Os 347 estrangeiros aprovados poderão trabalhar no setor de restaurantes, disse na terça-feira a Organização de Avaliação de Competências Técnicas dos Trabalhadores Estrangeiros na Indústria de Alimentos.

Com taxa de aprovação de 75 por cento, 460 estrangeiros realizaram testes de idioma japonês e de habilidades em Tóquio e Osaka no mês passado.

Os candidatos aprovados devem começar a trabalhar a partir de julho, de acordo com o Ministério da Agricultura, Florestas e Pescas, que supervisiona a indústria de serviços alimentícios.

A área de restaurantes está entre os 14 setores de trabalho designados pelo governo para contratar estrangeiros com um visto de até cinco anos, sem direito a renovação.

O Japão introduziu o novo sistema em 1º de abril para lidar com a escassez de mão de obra devido ao rápido envelhecimento da população e ao declínio da taxa de natalidade.

Nos próximos cinco anos, o governo espera receber cerca de 345 mil trabalhadores estrangeiros.

Dos 347 candidatos aprovados, há 203 vietnamitas, 37 chineses e 30 nepaleses, além de outras nacionalidades asiáticas, segundo a organização.

Um novo exame será realizado em junho com vagas para 2 mil candidatos.

Trabalhadores que adquirirem qualificação nos setores de construção e construção naval poderão estender ainda mais a estadia, ganhando um visto que permite trazer familiares ao Japão e que pode ser renovado sem limites.
Fonte: Alternativa

sexta-feira, 29 de março de 2019

Taxa de desemprego recua para 2,3% no Japão, com mais contratação de mulheres

Dados acentuam mais de um milhão de contratações com relação ao mesmo período de 2018
taxa de desemprego no Japão

 A taxa de desemprego no Japão caiu para 2,3% em fevereiro, com recuo de 0,2 pontos em comparação ao mês anterior, informou uma reportagem da emissora NHK nesta sexta-feira (29).

Os dados do Ministério dos Negócios Internos e Comunicações mostram que 66,5 milhões de pessoas estavam empregadas no mês passado. Em comparação ao mesmo período do ano passado, mais 780 mil pessoas entraram no mercado de trabalho.

Com relação aos trabalhadores temporários, que incluem trabalhadores de fábricas e os chamados “arubaitos” (meio período), os dados indicaram que há 21,5 milhões de pessoas empregadas e o crescimento em comparação ao ano anterior foi de mais 370 mil novos trabalhadores.

Já o número de desempregados ficou em 1,56 milhão de pessoas, com queda de 100 mil pessoas em comparação ao mesmo período do ano passado. É a primeira queda no índice de desemprego em dois meses.

“A contratação de mulheres entre 15 e 74 anos ultrapassou a margem dos 70%. Há uma melhora visível na situação de empregos do país”, disse um porta-voz do Ministério.
Fonte: Alternativa

quinta-feira, 7 de março de 2019

Japão pretende criar salário mínimo único em setores que contratam estrangeiros

Atualmente, o valor da remuneração muda de acordo com a província
Trabalhadores estrangeiros no Japão

O governo japonês iniciou nesta quinta-feira (7) discussões para estabelecer um salário mínimo único em todo o país nos setores que contratam estrangeiros, informou a emissora NHK.

Atualmente, o valor da remuneração mínima muda de acordo com a província por causa da diferença de custo de vida nas regiões.

A intenção do governo é evitar que trabalhadores estrangeiros, e também japoneses, concentrem-se em províncias onde o salário é maior, como Tóquio e Kanagawa.

A medida valeria para setores de trabalho autorizados pelo governo a contratar 345 mil estrangeiros asiáticos sob um novo tipo de visto que entra em vigor a partir de abril.

Novas reuniões serão realizadas para definir valores e a data de início da vigência, caso o governo consiga aprovar a ideia.

Nenhuma empresa pode pagar menos que o salário mínimo estipulado em cada província, independente do tipo de contrato de trabalho. Os infratores podem ser multados ou presos.

Valores
A diferença salarial entre uma região e outra no Japão está aumentando e chegou a mais de ¥200 por hora.

O salário mínimo médio é de ¥874. Esse valor muda de acordo com a província e a capital Tóquio tem a melhor remuneração, com ¥985, seguida de Kanagawa (¥983) e Osaka (¥936).

A província com menor salário é Kagoshima, onde o valor mínimo por hora foi estabelecido em ¥761. Em Aomori, Iwate, Akita, Tottori, Saga, Nagasaki, Kumamoto, Oita, Miyazaki, Okinawa e Kochi, o valor também é baixo: ¥762.

Na região Tokai, o salário mínimo por hora é de ¥898 em Aichi, ¥858 em Shizuoka, ¥846 em Mie e ¥825 em Gifu.

A diferença do salário mínimo entre Tóquio e Kagoshima é de ¥224 por hora, ou quase ¥40 mil por mês considerando apenas os dias normais trabalhados.

Essa diferença vem aumentando constantemente e praticamente dobrou nos últimos 10 anos, fazendo com que os trabalhadores se mudem para regiões onde o salário é melhor e deixando as províncias menos favoráveis com falta de mão de obra.

Política básica para novos trabalhadores estrangeiros
Número de trabalhadores
345.150 durante cinco anos, a partir de abril de 2019

Vistos
Categoria 1 - Para trabalhadores com baixa qualificação. Duração de 5 anos, sem possibilidade de renovação. Familiares não serão aceitos.

Categoria 2 - Para trabalhadores com alta qualificação. Duração de 5 anos, com renovação ilimitada. Cônjuges e filhos serão aceitos.

Áreas de trabalho
Assistência a idosos - 60.000 vagas
Limpeza de prédios - 37.000 vagas
Indústria de materiais - 21.500 vagas
Fabricação de maquinário - 5.250 vagas
Indústria eletrônica - 4.700 vagas
Construção - 40.000 vagas
Construção de navios - 13.000 vagas
Manutenção de veículos - 7.000 vagas
Aviação - 2.200 vagas
Hotelaria - 22.000 vagas
Agricultura - 36.500 vagas
Pesca - 9.000 vagas
Produção de alimentos - 34.000 vagas
Serviços em restaurantes - 53.000 vagas

Países que aplicarão testes de idioma japonês e de capacitação:
Vietnã, Filipinas, Camboja, Indonésia, China, Tailândia, Myanmar, Mongólia e Nepal
Fonte: Alternativa

segunda-feira, 18 de fevereiro de 2019

Declaração de Imposto de Renda no Japão: consultas e documentos necessários

O IR incide sobre a renda anual que a pessoa teve entre 1º de janeiro e 31 de dezembro do ano anterior
Declaração de Imposto de Renda no Japão

A Declaração de Imposto de Renda deve ser entregue até o dia 15 de março na Receita Federal. E como muita gente tem dificuldade de preencher o formulário, algumas cidades realizam consultas com auditores fiscais para tirar dúvidas. Em alguns locais há intérprete, mas em outros, não. Na maioria destes lugares é preciso fazer reserva.

O Imposto de Renda incide sobre a renda anual que a pessoa teve entre 1º de janeiro e 31 de dezembro do ano anterior. Se o trabalhador é assalariado, entra no sistema de Certificado de Imposto de Renda (Gensen Choushuhyou), documento que o empregador deve entregar aos funcionários em janeiro do ano subsequente.

No caso, a empresa desconta mensalmente do salário ou bônus de cada empregado e faz o Ajuste Fiscal de Final de Ano (Nenmatsu Chousei), não havendo, assim, a necessidade de o funcionário declarar o imposto.

Porém, se o trabalhador se encaixa em algumas destas situações, deverá declarar o Imposto de Renda: a empresa não fez o ajuste no final de ano; não teve o imposto descontado do salário; teve rendimentos de duas ou mais fontes; teve renda proveniente do exterior; não declarou todos os dependentes, incluindo os que estão no exterior (remessas bancárias a dependentes no Brasil devem estar em nome do dependente); teve despesas médicas acima de ¥100 mil, ou ainda comprou algum imóvel. Quem é autônomo também deve declarar.

Documentos
Veja os documentos necessários: gensen original. Caso tenha tido mais de dois empregos, deve apresentar este documento de cada lugar onde trabalhou; original e cópia do Zairyu Card e do My Number e de todos os dependentes residentes no Japão; caderneta do banco e carimbo (inkan). Caso tenha dependente no exterior, apresentar os comprovantes de remessa bancária em nome do mesmo.

Apresentar ainda: certidão de nascimento e ou de casamento com tradução em japonês para provar a ligação familiar com dependentes no exterior; comprovantes de pagamento do Seguro Nacional de Saúde (Kokumin Kenko Hoken) ou Pensão Nacional (Kokumin Nenkin); recibos de despesas médicas que totalizem mais de ¥100 mil; comprovante de pagamento de seguro de vida, de incêndio, de financiamento de casa própria.

Consultas
Nagoia
O Centro Internacional de Nagoia (Aichi) terá consultas nos dias 23 e 24 de fevereiro e 2 e 3 de março, das 13h às 17h, com consultores fiscais. Será dada preferência a quem fará consulta pela primeira vez. É preciso fazer reserva, pois há número limitado de vagas. Tel.: 052-581-0100.

Toyoake
Auditores da Receita Nacional e consultores fiscais darão consultas e auxiliarão no preenchimento das declarações de imposto de renda até o dia 28 de fevereiro, das 9h30 às 16h (fechado para almoço das 12h às 13h), em Toyoake (Aichi). Não consta haver ajuda de intérprete. O atendimento será na Câmara de Comércio e Indústria de Toyoake (Shoukou Kaikan), na sala de reuniões do 2° andar (prédio em frente à Prefeitura, na rota 57). Informações: 0562-92-1118.

Hamamatsu
O Centro Internacional de Hamamatsu (Hice), em Shizuoka, dará consulta sobre declaração do Imposto de Renda dia 2 de março, das 9h30 às 11h30 e das 13h às 16h. Serão atendidas 40 pessoas por ordem de chegada. Inscrições: 053-458-2170.

Iwata
Consulta para preenchimento do formulário em Iwata (Shizuoka) de 18 de fevereiro a 15 de março, das 9h às 17h (Término da recepção: 16h). Não haverá consultas de fim de semana. Não haverá intérprete. A pessoa deve vir acompanhada de alguém que fale japonês. Local: Iwata-shi Bunka Shinkō Center Ninomiya Higashi 3-2- 2º andar (a oeste do Iwata Shimin Bunka Kaikan). Tel.: 0538-32-6111 (Iwata Zeimusho).

Kani
A Prefeitura de Kani (Gifu) receberá as declarações de IR até o dia 4 de março (exceto sábado, domingo e feriados), com acompanhamento de intérprete de português, se for necessário. É preciso fazer reserva. Atendimento das 9h30 às 12h e das 13h às 16h. Serão atendidas 22 pessoas por dia (30 minutos por pessoa). Tel.: 0574-62-1500 (português).

Nagahama
Consulta sobre a Declaração de Imposto de Renda em Nagahama (Shiga) de 18 de fevereiro até 15 de março, das 8h30 às 11h e das 13h às 16h (exceto sábados e domingos), na Prefeitura de Nagahama Tamokuteki Room 1F (60 pessoas por dia) e na Subprefeitura de Takatsuki 3F Kaigishitsu (40 pessoas por dia). Tel.: 0749-62-4111.

Konan
A Associação de Contadores da região Kinki - filial Minakuchi, de Konan (Shiga), realizará consulta gratuita relacionada à declaração de renda entre 18 e 22 de fevereiro, das 9h às 16h. Será no Minakuchi Nouzei Kyoukai. Serão atendidas 10 pessoas por dia (necessário reserva antecipadas). Tel.: 0748-62-1231.
Fonte: Alternativa

segunda-feira, 28 de janeiro de 2019

Número de trabalhadores estrangeiros no Japão tem nova alta

Por nacionalidade, o número de chineses foi o maior, seguido pelo de vietnamitas e filipinos
trabalhadores estrangeiros no Japão

De acordo com o governo japonês o número de trabalhadores estrangeiros atingiu nova alta recorde em 2018.

O ministério do trabalho compila as estatísticas com base em dados de empregadores.

Desde 31 de outubro, o número de trabalhadores estrangeiros trabalhando no Japão totalizou 1.460.000, alta de aproximadamente 180.000, ou 14 por cento, ante o ano anterior. O número estabelece um novo recorde pelo 6º ano consecutivo.

Por nacionalidade, o número de chineses foi o maior, 389.000, seguido pelos vietnamitas, com 317.000 e filipinos, 164.000.

O número de trabalhadores do Vietnã teve alta de 30 por cento, o maior aumento do que qualquer outra nacionalidade.

Cerca de 439.000 trabalhadores estrangeiros, ou 30 por cento do total, estão concentrados em Tóquio. As outras concentrações mais altas estão nas províncias de Aichi, 152.000, e Osaka, 90.000.

O ministério do trabalho disse que a tendência é amplamente resultado da crônica escassez de mão de obra no país.
Fonte: Portal Mie com NHK

terça-feira, 8 de janeiro de 2019

Curso gratuito para estrangeiros em Hamamatsu: turismo e atendimento ao cliente

As inscrições podem ser feitas até 1º de fevereiro no Hellowork
Curso turismo e atendimento ao cliente

O governo da província de Shizuoka, através do Colégio Técnico de Hamamatsu, vai promover um curso gratuito de turismo e atendimento ao cliente voltado especificamente para estrangeiros, a partir de 19 de fevereiro, em um período de três meses.

As inscrições começaram na segunda-feira (7) e podem ser feitas até 1º de fevereiro no Hellowork da jurisdição onde o interessado mora. Há vagas para somente 15 pessoas que forem aprovadas em uma prova de seleção.

Só podem participar estrangeiros que foram reconhecidos pelo Hellowork como aptos a fazer o curso. As aulas serão realizadas no Sasnet Hombukou, em Hamamatsu (Shizuoka).

Além das áreas de turismo e atendimento, os alunos aprenderão sobre computação básica, costumes trabalhistas e como preencher um currículo. Os professores são japoneses, mas os alunos terão a ajuda de intérpretes para poder acompanhar as matérias.

A prova de seleção será realizada no dia 7 de fevereiro, no Colégio Técnico de Hamamatsu, com leitura e escrita de hiragana e katakana, redação (propósito dos candidatos) e entrevista.

O curso em si é gratuito e o aluno precisa pagar apenas o material didático no valor de ¥9.828. Outras informações podem ser obtidas em português pelo telefone 053-462-5602.
Fonte: Alternativa

segunda-feira, 17 de dezembro de 2018

Japão planeja abrir 100 centros de apoio a trabalhadores estrangeiros

Todos os locais contarão com intérpretes ou sistemas de tradução
Chefe do gabinete japonês, Yoshihide Suga

O chefe do gabinete japonês, Yoshihide Suga, anunciou que o governo planeja abrir cerca de 100 centros de apoio a trabalhadores estrangeiros em todo o Japão.

A ação faz parte de um pacote de medidas que o país planeja adotar, antecipando a implementação da lei que permite a aceitação de mais trabalhadores estrangeiros a partir de abril do próximo ano.

Em entrevista no domingo (16) na cidade de Fukuoka, Suga afirmou que espera ver os centros de apoio em todas as províncias e principais cidades, onde reside grande número de trabalhadores estrangeiros. Ele declarou que cada centro contará com intérpretes ou sistemas de tradução.

Suga disse ainda que o governo vai repassar US$ 7,6 milhões para que os governos locais abram os centros. Segundo o secretário, o governo pretende fazer com que empresas assumam a responsabilidade por designar fiadores para o contrato de locação de imóveis dos trabalhadores.

O governo também vai garantir que trabalhadores estrangeiros sejam capazes de assinar contratos de planos de telefonia móvel, utilizando os cartões de residente (zairyu card).

Ele anunciou planos para facilitar a abertura de conta bancária e garantir o acesso a cuidados médicos para estrangeiros, fazendo com que serviços de tradução estejam amplamente disponíveis.
Fonte: Alternativa com Agência Brasil

sexta-feira, 23 de novembro de 2018

Japão quer aumentar a idade de aposentadoria para 70 anos

Esse é o primeiro passo do governo sob a gestão de Shinzo Abe para reformar o sistema de segurança social em 3 anos a fim de cobrir melhor todas as gerações
Aposentadoria no Japão

O governo japonês quer aumentar a idade da aposentadoria dos atuais 65 para 70 anos como parte de esforços em promover crescimento econômico no país que envelhece rapidamente, mostrou na quinta-feira (22) uma proposta de plano compilado por um painel do governo.

A proposta feita pelo comitê responsável por elaborar a estratégia de crescimento do governo também pede às grandes empresas revelarem a proporção de diferentes grupos etários entre os funcionários, uma medida que visa promover o emprego de trabalhadores de meia idade nas empresas, as quais tendem a recrutar jovens recém-graduados.

Os planos provavelmente serão decididos em uma reunião do conselho sobre Política Econômica e Fiscal na segunda-feira (26) e servir como base para um plano de ação que será criado no próximo verão.

Isso marca o primeiro passo dado pelo governo sob a gestão do primeiro-ministro Shinzo Abe para reformar o sistema de seguridade social em três anos a fim de cobrir melhor todas as gerações, embora ainda precise tomar providências com o mundo dos negócios antes da realização do plano.

No caminho de se preparar para apresentar os projetos sobre o aumento da idade de aposentadoria em 2020, o governo também vai considerar a promoção de diferentes estilos de trabalho, como jornadas mais curtas ou home office e facilitar a contratação de pessoas mais velhas ao fornecer subsídios e estabelecer conselhos especiais de municípios e firmas.

O governo planeja manter os 65 anos como idade mínima para começar a receber pensões públicas, embora vise dar às pessoas uma nova escolha de começar a recebê-las aos 70.
Fonte: Portal Mie com Mainichi

terça-feira, 13 de novembro de 2018

Japão estima entrada de 360 mil trabalhadores estrangeiros em 5 anos com novos vistos

Novas autorizações de permanência de trabalho entrarão em vigor em abril de 2019
Trabalhadores estrangeiros no Japão

As novas autorizações de permanência aprovadas recentemente pelo governo japonês devem acarretar na entrada de até 360 mil trabalhadores estrangeiros em cinco anos.

O governo do primeiro-ministro Shinzo Abe aprovou a concessão de dois tipos de vistos, mediante alteração na lei de imigração. Os vistos são de categoria 1 e categoria 2 e serão concedidos a estrangeiros interessados em trabalhar no Japão e que tenham conhecimento e experiência nas áreas de maior necessidade de mão de obra, como agricultura, construção e cuidado com idosos.

Não há necessidade de descendência para se candidatar aos novos vistos e a categoria 2, que é para pessoas com mais tempo de experiência e alto conhecimento, possui mais privilégios, como a possibilidade de trazer a família e portas abertas para a obtenção de visto permanente no futuro.

Uma reportagem da emissora NHK informou nesta terça-feira (13) que o governo estimou a entrada de pelo menos 33 mil e até 47 mil trabalhadores estrangeiros durante o ano fiscal de 2019 (de abril de 2019 a março de 2020).

No entanto, os dados do governo mostram que, durante o ano fiscal de 2019, o país deve precisar de pelo menos 600 mil trabalhadores a mais. A necessidade de mão de obra deverá oscilar entre 1,30 milhão e 1,35 milhão de pessoas em 5 anos.

O esperado é que o país receba de 260 mil até 340 mil trabalhadores estrangeiros nos próximos cinco anos, através da concessão dos novos vistos.
Fonte: Alternativa

terça-feira, 30 de outubro de 2018

Setembro com taxa de desemprego de 2,3% e alta taxa de empregados no Japão

O mês de setembro teve uma taxa de desemprego de 2,3% e queda do número de pessoas desempregadas, em 100 meses consecutivos
taxa de desempregono Japão

O Ministério de Assuntos Internos e Comunicações do Japão informou na terça-feira (30) que setembro fechou com 2,3% de taxa de desemprego, em queda por 100 meses consecutivos. Traduzindo em número de desempregados, essa população é de 1,62 milhão de pessoas. Significa 280 mil a menos de desempregados em relação ao mês anterior, agosto.

Por outro lado, o levantamento mostra que número de empregados foi de 67,15 milhões de pessoas. Demonstra aumento de 1,19 milhão de pessoas.

Na faixa dos 15 aos 64 anos o índice de empregados é de 77,3%, o maior desde 1968, ou em meio século. Há uma contribuição efetiva das mulheres no mercado de trabalho, avalia o ministério.
Fonte: Portal Mie com Nikkei, Bloomberg e ANN

segunda-feira, 15 de outubro de 2018

Toyota anuncia investimento de R$ 1 bilhão em fábrica no interior de SP

Inaugurada em 1998, unidade de Indaiatuba está completando 20 anos
Toyota em Indaiatuba

A Toyota anunciou um investimento de R$ 1 bilhão em sua planta de Indaiatuba, interior de São Paulo. O aporte tem missão de preparar a unidade dentro de um processo de modernização para se tornar mais flexível e competitiva no cenário brasileiro e latino-americano, com o intuito de produzir carros cada vez melhores.

O anúncio foi celebrado pela direção da companhia em cerimônia para comemorar os 20 anos de operação da unidade de Indaiatuba, onde vários modelos são fabricados, incluindo o Corolla.

Trata-se do primeiro investimento da indústria automotiva após o anúncio do Programa Rota 2030 e demonstra a confiança da Toyota no futuro do País.

O montante trará aprimoramento, atualização e modernização de todos os processos na linha de montagem de Indaiatuba em um prazo de até 18 meses. Contempla, ainda, o aperfeiçoamento de mão de obra por meio de atualizações técnicas, melhoria de ergonomia e treinamentos de toda sua força de trabalho.

“O anúncio da Toyota é mais um exemplo da confiança da empresa no Brasil e nos brasileiros. Com esse investimento de R$ 1 bilhão, nossa fábrica se tornará mais flexível e competitiva com o intuito de atender às expectativas de nossos clientes e sermos mais competitivos em nossas exportações”, afirma Steve St.Angelo, CEO da Toyota para América Latina e Caribe e Chairman da Toyota do Brasil, Argentina e Venezuela.

Programa de visitas
Desde 15 de agosto deste ano, a fábrica de Indaiatuba conta com um programa de visitas cuja missão é ajudar a construir um legado do conhecimento industrial junto à sociedade brasileira.

Como empresa cidadã, o programa da Toyota foi concebido para multiplicar as boas práticas operacionais e industriais, ao compartilhar valores intrínsecos em sua filosofia empresarial, mundialmente reconhecida pela eficiência e qualidade na produção.

Por meio de inscrição no site da Toyota (aqui), os interessados podem fazer um tour pelas instalações da fábrica e conhecer em detalhes o Sistema Toyota de Produção. A visita tem foco técnico e é restrita a um público maior de 6 anos.
Fonte: Alternativa

quinta-feira, 27 de setembro de 2018

Japão pretende abrir mais de 10 campos de trabalho para estrangeiros em 2019

Governo deve apresentar projetos em sessão extraordinária do Parlamento
Secretário-chefe do Gabinete japonês, Yoshihide Suga

O secretário-chefe do Gabinete japonês, Yoshihide Suga, disse na quarta-feira (26) que o governo está considerando a abertura de mais de 10 campos de trabalho para estrangeiros não-qualificados, liberando um novo visto de residência de cinco anos a partir de abril do próximo ano.

"Mais de 10 áreas de trabalho enfrentarão sérios problemas sem os trabalhadores estrangeiros", disse Suga em coletiva de imprensa em Tóquio, segundo o jornal Mainichi.

Suga informou que o governo pretende apresentar projetos sobre o assunto em sessão extraordinária do Parlamento ainda neste outono para começar a aceitar mais trabalhadores estrangeiros na próxima primavera.

De acordo com funcionários do governo, os setores que podem ser abertos a trabalhadores do exterior incluem agricultura, silvicultura, pesca, construção, cuidados a idosos, hotelaria e alimentação (restaurantes).

Alguns desses campos de trabalho já recebem estrangeiros através do sistema de estágio do governo ou de acordos com países específicos, mas desta vez a abertura seria mais ampla.

Há duas semanas, o ministro das Relações Exteriores do Japão, Taro Kono, disse que o país está se preparando para aceitar mais trabalhadores estrangeiros, já que sua população está à beira de um forte declínio.

"Estamos abrindo o nosso país. Estamos abrindo nosso mercado de trabalho para países estrangeiros. Agora estamos tentando criar uma nova política de permissão de trabalho, então acho que todos serão bem-vindos no Japão se quiserem se integrar à sociedade japonesa", declarou.
Fonte: Alternativa