quarta-feira, 30 de novembro de 2016

Japão tem menos de 2 milhões de desempregados pela 1ª vez em 22 anos

O número de trabalhadores aumentou em 630 mil no mês passado, para 64,95 milhões

Trabalhadores no Japão

O número de desempregados no Japão ficou abaixo de 2 milhões pela primeira vez em 22 anos, segundo dados do governo referentes a outubro.

O total de pessoas desempregadas no país ficou em 1,95 milhão, queda de 130 mil em relação a outubro de 2015 e marcando a 77ª queda mensal consecutiva, informou o Ministério de Assuntos Internos e Comunicações na terça-feira (29).

A última vez que o número de desempregados no Japão ficou inferior a 2 milhões tinha sido em fevereiro de 1995.

O número de trabalhadores aumentou em 630 mil no mês passado, para 64,95 milhões, em comparação a outubro de 2015.

A taxa de desemprego do Japão ficou em 3% em outubro, o mesmo índice do mês anterior e em linha com as expectativas do governo.

A disponibilidade de trabalho do país ficou em 1,40 em julho, o que significa que 140 vagas estavam disponíveis para cada 100 candidatos a emprego, de acordo com o Ministério da Saúde, Trabalho e Bem-estar Social.
Fonte: Alternativa

quarta-feira, 9 de novembro de 2016

Toshiba eleva previsão de lucro em 50% por forte demanda de chips de memória

"Esperamos que essa tendência continue na segunda metade do ano financeiro", disse a empresa 
Toshiba
 
O conglomerado japonês Toshiba elevou sua estimativa de lucro operacional em 50 por cento na terça-feira, dizendo que espera que a demanda por seus chips de memória flash Nand siga forte no resto do ano financeiro.

O grupo agora espera lucro operacional de 180 bilhões de ienes (1,7 bilhão de dólares) no ano que termina em março, ligeiramente abaixo da expectativa média de 182 bilhões de ienes, de 16 analistas. Antes, a previsão era de lucro de 120 bilhões de ienes.

A revisão aconteceu após a Toshiba elevar duas vezes sua estimativa de lucro para o período de abril a setembro, citando o aumento dos preços de chips de memória flash para smartphones apoiados em forte demanda de chips das fabricantes chinesas.

"Esperamos que essa tendência no mercado de chips de memória continue na segunda metade do ano financeiro", disse a Toshiba.

A recuperação no mercado global de chips de memória é uma expansão bem vinda para a Toshiba, que tenta virar uma empresa mais enxuta, após se focar em chips Nand e energia nuclear, após um escândalo contábil de 1,3 bilhão de dólares.
Fonte: Alternativa

quinta-feira, 20 de outubro de 2016

O brasileiro Carlos Ghosn, da Nissan e Renault, assume a também a Mitsubishi

Carlos Ghosn

Com o desafio de reconstruir a montadora Mitsubishi Motors, depois do escândalo da fraude dos dados de combustível em 4 modelos de veículo, em abril deste ano, Carlos Ghosn assumirá o comando, acumulando os cargos de presidente na Nissan e na Renault, de acordo com informações do jornal Asahi.

Carlos Ghosn, 62, assumirá a presidência do conselho da montadora Mitsubishi, e convidou o atual presidente Osamu Masuko a permanecer no cargo, mesmo tendo pedido demissão.

Ghosn assumiu a presidência da Nissan em 1999, reestruturando-a à sua maneira e pretende agir da mesma forma na Mitsubishi, que terá 34% de suas ações compradas pela Nissan, nesta quinta-feira (20).
O executivo brasileiro, com uma das melhores remunerações do Japão, tem pela frente o desafio de realizar uma profunda reforma na Mitsubishi Motors para sua reestruturação. Como a MMC tem forte presença nos países do sudeste asiático, as 3 montadoras poderão realizar compras de peças em cooperação, bem como trabalharem juntas no desenvolvimento de carros ecológicos.

De acordo com o jornal Asahi, a visão de Ghosn é ganhar um lugar na guerra entre as 3 maiores do mundo – Toyota com 10 milhões de unidades, Volkswagen e General Motors – desenhando um cenário com a cooperação entre as 3 montadoras. Para isso, ele pretende reestruturar rapidamente a MMC.
Fonte: IPC Digital

terça-feira, 13 de setembro de 2016

Sabja e WAM fazem parceria para atendimento psicológico gratuito no Japão

Projeto com órgão do Ministério da Saúde do Japão traz psicólogos vindos do Brasil para atender a comunidade
atendimento psicológico gratuito no Japão

Os brasileiros no Japão contam agora com mais um atendimento psicológico gratuito. A NPO Sabja (Serviço de Assistência aos Brasileiros no Japão) e a WAM (Welfare and Medical Service Agency), órgão ligado ao Ministério da Saúde, Trabalho e Bem-estar Social do Japão, acabam de firmar uma parceria inédita num programa que trará psicólogos vindos do Brasil para atender a comunidade.

“Temos um psicólogo que atende a região de Hamamatsu (Shizuoka) e em Nagoia (Aichi), mas faltava profissional para atender a jurisdição de Tóquio”, afirmou Hiroyuki Shimizu, diretor da NPO Sabja.

Os atendimentos iniciaram há pouco menos de um mês e estão sendo realizados, via online ou presencial, pelo psicólogo Raphael de Almeida.

O programa se estenderá até março de 2017. A ideia é que, a cada três meses, venha um novo psicólogo do Brasil. “O objetivo é que esses profissionais voltem e possam continuar o trabalho com os brasileiros que retornam ao país”, revela o psicólogo, que no Brasil trabalha com o projeto Kaeru, de inclusão de alunos brasileiros vindos do Japão nas escolas públicas do estado de São Paulo.

Essa é a primeira vez que o WAM, órgão do governo japonês, destina um orçamento a um projeto específico para o cuidado dos estrangeiros. “Tivemos alguns obstáculos já que até então os projetos eram voltados somente para os japoneses. Além disso, tínhamos também a questão dos gastos das passagens aéreas de profissionais vindos do Brasil”, revelou o diretor da Sabja. “Queremos continuar com o projeto, mas tudo dependerá do resultado e da boa repercussão”, acrescentou ele.

Orientação psicológica NPO Sabja
Agendamento no telefone 050-6864-6600, de segunda a sexta-feira, das 9h às 16h.
Site: http://www.nposabja.org
E-mail: nposajba@gmail.com
Fonte: Alternativa

segunda-feira, 22 de agosto de 2016

Mie: Iga ganha Centro Multicultural para apoio aos estrangeiros, incluindo atendimento em português

Castelo de Iga

A cidade de Iga (Mie) tem registrados 4.338 estrangeiros (dados de junho deste ano), o que correspondem a 4,6% da população local. Por isso, foi inaugurado o Centro Multicultural de Iga, localizado na região central, em Ueno Higashi.

O prefeito Sakae Okamoto declarou na inauguração que espera gerenciar o local para atender à demanda multicultural e versátil.

O centro irá atender em português, espanhol, inglês e chinês, para consultas do cotidiano, informações, revezando os intérpretes.

O Centro Multicultural tem atendimento nos dias úteis e no 2º e 4º domingo do mês, das 09h00 às 17h00. O telefone é 0595-22-9629.
Fonte: IPC Digital com Sankei Shimbun

quinta-feira, 14 de julho de 2016

Japão dá primeiro passo para aumentar salário mínimo a ¥1.000 por hora

Governo deve reajustar a média nacional em 3% ainda neste ano fiscal
aumentar salário mínimo

Poucos dias após as eleições para a câmara alta do Parlamento japonês, que resultou na vitória do Partido Liberal Democrata (do primeiro-ministro Shinzo Abe) e do partido aliado Komeito, grandes projetos já foram anunciados.

Na Reunião de Consulta de Economia e Finanças Públicas, realizada na quarta-feira (13), Abe anunciou uma meta de aumento do salário mínimo no país para a média de ¥1.000 por hora. O primeiro passo será dado neste ano fiscal, com aumento de 3%.

A média do salário mínimo atual é de ¥798. Com o aumento, passará para ¥822. A intenção do governo é promover reajustes até chegar a ¥1.000, como forma de incentivar gastos e aquecer a economia.

“É o primeiro ano fiscal em que lançamos uma meta alta para o salário mínimo. Gostaria de pedir a colaboração do Ministério do Trabalho e do Ministério da Economia para analisar as possibilidades e alcançar este objetivo”, disse Abe durante o pronunciamento.

Uma Comissão de Avaliação do Salário Mínimo foi montada pelo Ministério do Trabalho para discutir o assunto e tomar providências.

Reuniões focadas nas situações particulares de cada província também serão efetivadas. De acordo com uma reportagem do jornal Nikkei, novas conclusões referentes ao aumento serão anunciadas ainda este mês.
Fonte: Alternativa

quinta-feira, 2 de junho de 2016

Toyota negocia compra de divisões de robótica de controladora do Google

A montadora japonesa está discutindo adquirir a Cheetah e a Schaft
Toyota

A Toyota está negociando a compra de duas divisões de robótica da controladora do Google, Alphabet, publicou o jornal Nikkei nesta quinta-feira.

A montadora japonesa está discutindo comprar a Cheetah, da Boston Dynamics, controlada pela Alphabet. A empresa diz ter desenvolvido o mais rápido robô com pernas do mundo.

O interesse da Toyota também está sobre a Schaft, uma empresa liderada por ex-professores da Universidade de Tóquio, segundo o Nikkei.

A Toyota não comentou o assunto, além de dizer que o braço de pesquisa e desenvolvimento do grupo, Toyota Research Institute, "regularmente discute possíveis colaborações com parceiros externos".
Fonte: Alternativa

quinta-feira, 12 de maio de 2016

Nissan e Mitsubishi confirmam negociações sobre possível aliança

As vendas de veículos compactos da Mitsubishi despencaram 44,9 por cento em abril após escândalo 
Nissan e Mitsubishi
A Nissan Motor e a Mitsubishi Motors confirmaram na quarta-feira que estão discutindo uma aliança, após reportagens da mídia que citaram que a primeira estava buscando uma participação de quase um terço na rival.

"Nissan e Mitsubishi estão discutindo vários assuntos, incluindo uma cooperação, mas nada foi decidido", disseram as duas montadoras japonesas em comunicados separados. Elas acrescentaram que seus conselhos de administração estão se reunindo para analisar o assunto.

Segundo duas fontes com conhecimento do assunto, a Nissan está em negociações avançadas para comprar uma participação de cerca de um terço na Mitsubishi Motors, com um investimento de 200 bilhões de ienes (equivalentes a 1,85 bilhão de dólares).

As vendas de veículos compactos da Mitsubishi despencaram 44,9 por cento em abril, para 1.477 automóveis, em comparação ao mesmo mês de 2015, após a montadora japonesa admitir ter manipulado dados de consumo de combustível de seus carros de pequeno porte vendidos no mercado doméstico.

As vendas também despencaram para a Nissan, que tem os modelos Dayz e Dayz Roox feitos pela Mitsubishi e que também tiveram leituras de quilometragem manipuladas. As vendas gerais de veículos compactos da Nissan caíram 51,2 por cento, para 5.574 no mês passado.
Fonte: Alternativa

quinta-feira, 21 de abril de 2016

Fábricas da Toyota devem retomar produção gradativamente a partir de segunda

Os terremotos em Kumamoto prejudicaram o fornecimento de autopeças 
Fábricas da Toyota no Japão

A Toyota Motors anunciou que irá retomar a produção em suas fábricas, parcialmente paradas devido à série de terremotos em Kumamoto. O tremor prejudicou o fornecimento de autopeças para a montadora, que foi obrigada a paralisar temporariamente a produção.

As unidades da Toyota estão paradas desde o último domingo e a retomada dos trabalhos está agendada para ocorrer entre 25 e 28 deste mês. A informação foi publicada no site da empresa na quarta-feira (20).

Segundo o calendário da montadora, a fábrica de Tsutsumi, em Aichi, que possui 5,2 mil operários e produz 372 mil veículos, será a primeira a voltar a funcionar. A data marcada é a próxima segunda-feira (25).

Já as unidades de Takaoka e Tahara, ambas também em Aichi produzindo juntas cerca de 500 mil veículos e com 10 mil empregados, retomam a movimentação na linha de produção na terça (26) e quinta-feira (28).

Outras unidades da montadora em Iwate, Miyagi. Quioto, Tóquio e Aichi, administradas pelo Grupo Toyota, voltam a produzir nas mesmas datas.

A empresa divulgou ainda que, devido a contuindade dos tremores em Kumamoto, o funcionamento normal das unidades estará “sujeito a modificações”. A paralisação deve afetar a produção de até 90 mil veículos.
Fonte: Alternativa

domingo, 10 de abril de 2016

Província de Shimane quer mais trabalhadores estrangeiros e cria programas de incentivo

Shimane

O governo da província de Shimane, em parceria com entidades e prefeituras locais está criando ações para atrair trabalhadores estrangeiros. A fim de evitar problemas, tais como salários não pagos, as associações patronais começaram a mover-se para as atividades educativas do empregador.

A montadora Daihatsu anunciou que contratará mais estagiários vietnamitas. Vai passar dos 10 atuais para mais 20 contratações nos próximos 2 anos. Para melhorar a comunicação entre japoneses e estrangeiros, a empresa tem programado encontros como jogos de boliche, por exemplo.

A Associação das Indústrias de Confecção já apresentou 58 estrangeiros à 8 das associadas. Também falta mão de obra para trabalhar nas fazendas, onde se pretende alocar os estagiários vietnamitas.

Brasileiros são muito bem vindos em Shimane
São 2 tipos de estrangeiros que ocupam diversas vagas na província: os estagiários, maioria vinda da Ásia, e os nikkeis brasileiros. Os brasileiros são maioria na cidade de Izumo e boa parte trabalha na Murata Seisakusho. Para eles, a província junto com as empresas empregadoras pretende oferecer benefícios como auxílio para voltar ao país de origem.

Além disso, os cerca de 1.300 brasileiros que são empregados através das chamadas empreiteiras, já tem dentro da Murata loja com produtos brasileiros e até menu com cardápio brasileiro no refeitório, segundo o jornal econômico – Nikkei. Segundo a matéria, há uma NPO para dar suporte às crianças nas escolas japonesas.

Com a vinda dos trabalhadores estrangeiros na cidade de Izumo, além da internacionalização, preenchem-se duas lacunas: a da falta de mão de obra e da diminuição da população japonesa.

Solução de problemas advindos com a contratação de estrangeiros – pagamento de salário
Há uma preocupação por parte do governo em relação à expansão da aceitação de estrangeiros – o aumento de problemas. Num passado próximo, já aconteceu o não pagamento de salário ao estrangeiro, dentro da província de Shimane. Kenji Moriwaki diretor executivo da Associação dos Empresários de Shimane, promoveu um  seminário sobre os recursos humanos estrangeiros, em março deste ano. “Em primeiro lugar é necessário ter uma forte consciência para o cumprimento das leis e regulamentos, como a Lei das Normas de Trabalho e a Lei da Segurança e Saúde no Trabalho”, afirmou Moriwaki.
Fonte: IPC Digital com Nihon Keizai Shimbun

segunda-feira, 28 de março de 2016

Curso de mecânica da Toyota para brasileiros vai acabar por falta de candidatos

A fabricante alega que os objetivos do curso não estão mais sendo atingidos 
Curso de mecânica da Toyota para brasileiros

Os brasileiros que estão interessados em fazer o Curso de Mecânica Automobilística oferecido pela Toyota em Kiyosu (Aichi) desde 1999 devem se preparar bem. A próxima turma que começará em outubro deste ano será a última. A Toyota informou na semana passada que decidiu acabar com o curso que formou até agora 307 técnicos em mecânica de autos.

O curso foi criado em 1999 quando o então embaixador Fernando Guimarães Reis sugeriu à Toyota Motor Corporation um programa de capacitação de jovens brasileiros. Na época, a comunidade brasileira era a terceira maior no Japão, atrás apenas de chineses e coreanos.

O curso nasceu então com o objetivo de formar técnicos e consultores qualificados para suprir a mão de obra das concessionárias da Toyota no Brasil. Ou seja, um dos requisitos era o aluno voltar para o Brasil para trabalhar nestas empresas.

Porém, este e outros requisitos não vêm sendo preenchidos, segundo Mariko Kobayashi, da Divisão de Cidadania Corporativa da Toyota e coordenadora do curso. Ela diz que o número de inscritos vem caindo drasticamente desde 2009, quando ocorreu a crise financeira mundial.

Um dos anos que teve menos inscritos foi 2013, com apenas 22 candidatos. O curso comporta 20 vagas e apenas 11 conseguiram passar no teste raciocínio lógico, no exame psicológico, no teste de português e na entrevista. “O número mínimo para o curso prosseguir é de dez pessoas”, diz o professor Valdemar Yamada.

No site da companhia consta que se o número de aprovados não atingir o limite de dez pessoas, o mesmo será cancelado.

Além disso, Kobayashi contou que fez um levantamento sobre o destino dos que se formaram nos anos de 2011 até 2014. “Posso dizer que mais da metade não voltou para o Brasil”, conta.

Em seu levantamento, Kobayashi também constatou a diminuição do tamanho da comunidade, passando dos cerca de 250 mil na década de 90 para cerca de 170 mil hoje.

Kobayashi citou ainda o fato de que muitos jovens chegam falando bem japonês e não dominando o idioma português, o que também lhes dificultaria a vida no Brasil.

Kobayashi garante que a decisão de encerrar o curso foi tomada com muito cuidado. Mas adiantou que a empresa pensa em criar outro programa que possa beneficiar não apenas brasileiros, mas também estrangeiros de outras comunidades no Japão. “Ainda não temos uma ideia do que poderia ser, mas estamos pensando em algo mais global”, diz.

A 18ª e última turma a ser formada para o Curso de Mecânica da Toyota estudará entre outubro de 2016 até setembro de 2017. Os interessados devem se inscrever até 10 de junho. Os exames seletivos serão realizados em 25 e 26 de junho.

Para se inscrever é preciso preencher alguns requisitos: ser residente no Japão, ter ensino fundamental ou chuugakkou completo. Os candidatos devem ter entre 16 e 29 anos de idade (nascidos entre 1 de outubro de 1987 e 30 de setembro de 2000). Devem também ter intenção de retornar ao Brasil após a conclusão do curso.

Mais informações:
www.toyota-tcn.ac.jp/brasil/
Fonte: Alternativa

Curso de mecânica da Toyota 2016

sábado, 5 de março de 2016

Japão: número recorde de famílias vivendo com auxílio do governo

auxílio do governo
O número de famílias vivendo de auxílio no Japão atingiu um novo recorde em dezembro de 2015, com mais de 1.6 milhões de casos, afirmaram representantes do governo nesta quarta-feira (2).

O Ministério da Saúde, Trabalho e Bem-Estar atribuiu o número, 1.965 casos a mais do que o mês anterior, ao aumento de famílias formadas por pessoas idosas que vivem sozinhas e sem renda.

O número de famílias dependentes de auxílios, formadas por pessoas com 65 anos de idade, ou mais, chegou ao patamar de 805.723 casos, alta de 1.877 casos se comparado ao mês anterior e somando 49.6% do total de registros.

Desses, mais de 90% são formados por apenas uma pessoa, segundo os dados do Ministério.

O número total de pessoas beneficiadas pelo auxílio era de mais de 2.1 milhões, com alta de 1.210 casos em novembro do ano passado. Este número representa 1.71% da população total do Japão, informou o Ministério.
Fonte: IPC Digital com Japan Today

sexta-feira, 29 de janeiro de 2016

Japão lança plano para efetivar ao menos 50% dos trabalhadores temporários

Pessoas que buscam estabilidade no emprego poderão ter mais oportunidades nos próximos anos

trabalhadores temporários no Japão
O Ministério da Saúde, Trabalho e Bem-estar Social anunciou na quinta-feira (28) o “Plano de Valorização e Conversão ao Contrato Efetivo”, que corresponde a novas medidas para aumentar as possibilidades de efetivação para trabalhadores temporários e de empreiteiras, informou o jornal Asahi nesta sexta-feira.

A meta principal para os próximos cinco anos é reduzir pela metade o número de trabalhadores temporários que estão nesta situação por falta de oportunidade de efetivação.

De acordo com dados de 2014 do Ministério, 18,1% dos trabalhadores temporários aceitavam as condições por falta de opção. Em 2020, o governo pretende reduzir este número para menos de 10%, melhorando as possibilidades de quem está em busca de um trabalho efetivo.

Para cumprir a meta, algumas medidas serão colocadas em prática. Uma delas é o oferecimento de treinamentos profissionais para os interessados. Um novo sistema que garante subsídios às empresas que contratarem pessoas com baixo estudo também será criado.

O objetivo é garantir a efetivação de trabalhadores que interromperam o estudo básico ou superior e possuem dificuldades de encontrar um emprego estável por isto.

No entanto, a principal preocupação do Ministério é com os trabalhadores de meia idade (entre 35 e 44 anos). Nos últimos 10 anos, o número de empregados temporários nesta faixa etária atingiu 30% do total.

No geral, são pessoas que trabalham em curtos períodos e que passaram dos 35 anos sem adquirir boa técnica ou experiência. Com a falta de assistência para este público, as possibilidades de retirá-los de uma situação de pouca estabilidade também são poucas.

A diferença salarial também é outro fator preocupante que está sendo analisado pelo governo. Segundo uma pesquisa do próprio Ministério, funcionários efetivos recebem em média ¥317 mil por mês, enquanto que os trabalhadores temporários têm salário médio de ¥200 mil.

No caso de trabalhadores na faixa dos 50 anos, os efetivos chegam a receber o dobro do salário dos temporários.

O Ministério chegou a elaborar um plano de redução de diferenças salariais, mas não conseguiu atingir metas relacionadas aos valores.

Para melhorar o tratamento destes funcionários, o gabinete do primeiro ministro Shinzo Abe irá criar um time no Ministério do Trabalho para cuidar de um plano intitulado de “Trabalhadores Iguais, Salários Iguais”.
Fonte: Alternativa

terça-feira, 29 de dezembro de 2015

Olimpíada de Tóquio vai impulsionar PIB, diz BC japonês

A estimativa do governo é que o evento compense os reflexos do aumento de impostos que virão ainda em 2017

Olimpíada de Tóquio
Os Jogos Olímpicos de Tóquio de 2020 provavelmente irão impulsionar a economia do Japão em 0,2-0,3 ponto percentual em média a cada ano até 2018, compensando parte de outro aumento dos impostos sobre as vendas planejado para 2017, disse o banco central japonês nesta segunda-feira (28).

A estimativa do banco central, feita sob pedido da administração do primeiro-ministro, Shinzo Abe, destaca a esperança do governo de que a Olimpíada vai levar a novos investimentos e mais turistas estrangeiros para dar a partida na economia estagnada.

Investimentos em novos hotéis, locais do evento e infraestrutura relacionada aos Jogos vão chegar a um acumulado de 10 trilhões de ienes (83 bilhões de dólares) até 2020, disse o banco central em um relatório de avaliação do impacto econômico do evento.

Tais investimentos e gastos de visitantes estrangeiros vão impulsionar o Produto Interno Bruto (PIB) japonês em até 30 trilhões de ienes durante o período de 2015 a 2020 - ou aproximadamente 6 por cento do tamanho da economia, disse o banco.

Com os investimentos em construção devendo atingir seu pico por volta de 2020, o banco pediu ao governo para prosseguir com as reformas para moderar qualquer obstáculo criado pelo evento.

"Para sustentar o efeito de estímulo da Olimpíada após ela acabar, há necessidade de tomar medidas para fortalecer o potencial de crescimento do Japão e descobrir nova demanda que possa substituir (a queda) no investimento na construção", disse o banco central do Japão.
Fonte: Alternativa

terça-feira, 8 de dezembro de 2015

Japão quer aliviar carga tributária de pequenas empresas

pequenas empresas japaoA coalizão que governa o Japão está considerando propor uma redução de 50% na taxação anual de ativos fixos de pequenas empresas para incentivar a compra de equipamentos de produção, informou o jornal Nihon Keizai.

As empresas com capital de até ¥100 milhões pagariam apenas metade do imposto anual de 1,4% sobre novos equipamentos adquiridos, incluindo geradores de energia. Tais itens representam cerca de 90% dos investimentos de 2,5 milhões de pequenas e médias empresas.

Os equipamentos comprados entre 2016 e 2018 receberiam o benefícios fiscal de 50% nos três ano seguintes. Centenas de milhares de pequenas empresas no Japão poderiam se beneficiar com a media. Estima-se que que o governo deixaria de arrecadar cerca de ¥10 bilhões anuais.

O painel fiscal da coalizão irá incorporar a proposta a um esboço da reforma fiscal, prevista para ser votada em 2016.
Fonte: IPC Digital

sexta-feira, 20 de novembro de 2015

Sharp pode fechar fábricas de TV no exterior e concentrar produção no Japão

Fechamento de fábricas de televisores na China e na Malásia está na agenda

sharp-tvA Sharp poderá fechar as fábricas restantes de televisores que mantém fora do Japão e ainda espera que suas operações no segmento sejam lucrativas no próximo ano, afirmou um executivo da companhia nesta quinta-feira.

O fechamento de fábricas de televisores na China e na Malásia está na agenda enquanto a empresa avalia várias medidas de reestruturação, disse Kenichi Kodani, diretor da divisão aparelhos de informação digital, a jornalistas.

A Sharp vendeu fábrica de TV na Polônia no ano passado e acertou venda de unidade no México para a chinesa Hisense Group neste ano. Com o eventual fechamento de fábricas na China e na Malásia, a empresa terá sua estrutura produtiva de televisores concentrada apenas no Japão.

Pioneira na tecnologia de telas de cristal líquido (LCD), a Sharp lançou em 1987 sua primeira TV LCD, um modelo de três polegadas. A empresa já foi uma fabricante altamente lucrativa de televisores sofisticados, mas teve dificuldades para inovar e enfrentar competição de preços com rivais asiáticos.

Kodani, entretanto, afirmou que sua divisão, cujo principal negócio são televisores, provavelmente terá lucro no ano fiscal que começa em abril, por causa da forte demanda no Japão por modelos de definição ultra-alta (4K).
Fonte: Alternativa

terça-feira, 3 de novembro de 2015

Governo do Japão quer reduzir impostos das empresas para incentivar aumento de salário

reduzir impostos das empresas no JapãoO governo do primeiro-ministro Shinzo Abe está considerando reduzir a taxa do imposto corporativo (法人税 houjinzei), dos atuais 33,11% para 31%, a partir do ano fiscal de 2016, como um incentivo ao investimento e aumento salarial, informou a agência Kyodo.

O governo espera que a redução do imposto corporativo impulsione o investimentos e incentive os aumentos salariais, que não estão subindo como o planejado. Para compensar a redução na arrecadação, o governo planeja reduzir os incentivos fiscais introduzidos em 2013, um dos responsáveis pelo aumento vertiginoso dos lucros das grandes empresas japonesas.

Embora exista um apelo por uma redução ainda maior, para 30%, fontes da Kyodo disseram que o governo irá esperar até 2017 para uma nova redução do imposto empresarial, temendo uma queda significativa na arrecadação do próximo ano fiscal.
Fonte: IPC Digital

quinta-feira, 15 de outubro de 2015

3º Seminário Trabalhista de Hamamatsu

No dia 25 de outubro, o Consulado-Geral do Brasil em Hamamatsu promoverá, em parceria com o Ministério do Trabalho e Previdência Social e a HICE, o Terceiro Seminário Trabalhista de Hamamatsu sobre temas ligados a assuntos trabalhistas, previdência social e aposentadoria.

Temas trabalhistas:
* Férias remuneradas, Seguro Social e Nacional;
* Solução de conflitos na área trabalhista – Mediação e Conciliação;
* Empreendedorismo e qualificação;
* Depoimentos sobre inserção no mercado de trabalho.

Previdência Social e Aposentadoria:
* Previdência Social brasileira e japonesa;
* Acordo Previdenciário e principais dúvidas.
Data: 25 de outubro de 2015, domingo, das 14h às 19h
Local: Chiiki Joho Center – Hamamatsu
Inscrições: 053-458-2107 (HICE)
Maiores Informações: etb@consbrashamamatsu.jp
Tel.: 0538-450-8130

A palestra sobre o Acordo da Previdência Social Brasil/Japão será feita pela Gerente da Agência da Previdência Social de Atendimentos Internacionais de São Paulo – APSAISP, Belara Giraldelo, que esclarecerá as dúvidas mais recorrentes da comunidade brasileira a respeito do tema.

Em virtude do grande interesse despertado, a Sra. Belara proferirá outras 3 palestras sobre o mesmo tema nos seguintes dias e locais:
Hamamatsu – 26/10 (segunda-feira) das 16h às 17h30
Local: Sede do Consulado-Geral do Brasil em Hamamatsu
http://www.consbrashamamatsu.jp

Tóquio – 27/10 (terça-feira) das 16h às 17h30
Local: Auditório da Embaixada do Brasil
http://consbrasil.org

Nagoia – 29/10 (quinta-feira) das 16h às 17h30
Local: Sede do Consulado-Geral do Brasil em Nagoia
http://nagoia.itamaraty.gov.br/pt-br

Seminário Trabalhista de Hamamatsu
As palestras são abertas ao público em geral e às pessoas que desejam esclarecer dúvidas sobre sua situação previdenciária à luz do Acordo entre o Brasil e o Japão.
Fonte: IPC Digital

sexta-feira, 25 de setembro de 2015

Japão registra deflação pela primeira vez em mais 2 anos

consumo-caixa-inflacao-japaoO índice geral de preços ao consumidor caiu 0,1% em agosto frente ao ano anterior, registrando deflação pela primeira vez em mais de 2 anos, informou a agência Kyodo.

O índice de preços ao consumidor, que exclui os preços voláteis dos alimentos perecíveis, ficou em 103,4, contra a base de 100 em 2010, revelou dados divulgados pelo Ministério dos Assuntos Internos do Japão.

Com o país registrado deflação pela primeira vez desde abril de 2013, o Banco Central do Japão pode enfrentar mais pressão para uma maior flexibilização monetária para tentar atingir a meta de inflação de 2% ao ano.

A queda dos preços ao consumidor foi incentivada principalmente pela queda do preço da energia, que inclui combustíveis. A gasolina ficou 17,8% mais barata no mês da pesquisa.

Nos 23 distritos de Tóquio, a deflação foi de 0,2% em setembro em relação ao ano anterior, um indicativo de que os preços continuaram caindo em todo o país após a pesquisa nacional de agosto.
Fonte: IPC Digital

sexta-feira, 4 de setembro de 2015

Base salarial no Japão sobe 0,6% em julho, maior aumento desde 2005

yenA base salarial no Japão subiu 0,6% em julho (ano a ano), o maior aumento desde novembro de 2005, informou o governo japonês nesta sexta-feira (4). A massa salarial ajustada pela inflação subiu 0,3%, o primeiro aumento em mais de dois anos, após uma forte queda no mês anterior.

Segundo economistas, a escassez de trabalhadores está pressionando os empregadores a aumentar os salários para preencher as vagas.

“Com o mercado de trabalho cada vez mais estreito, a tendência de aumento salarial deve continuar e, gradualmente, estimular o consumo.” disse um economista da seguradora Nikkos, à Bloomberg.

O consumo das famílias caiu inesperadamente em julho, mas as vendas do comércio cresceram pelo quarto mês consecutivo, alimentadas pelo crescente aumento de turistas estrangeiros.

De acordo com o governo, as diferenças no calendário de pagamento de bônus contribuem para as oscilações nos dados salariais, que também incluem os pagamentos de horas extras e bonificações especiais.
Fonte: IPC Digital